A vaidade dos pais e os 'falsos' índigos

            Eu venho de uma geração onde não se havia quase nenhum conhecimento sobre crianças índigos, muito menos crianças cristais, na minha infância e adolescência pouco se falava sobre espiritualidade, mesmo eu tendo nascido em berço kardecista, o assunto não estava em evidência, muito pelo contrário, muitos escondiam esta opção por medo do preconceito, muito grande naquela época. Não nos preocupávamos com o planeta, com o meio ambiente, as eminentes catástrofes, se estavamos envoltos em uma sociedade injusta ou vivendo sob um sistema monetário a beira da falência, nem questionávamos a superficialidade e os erros do sistema educacional. A possibilidade de uma guerra nuclear era muitíssimo remota, ufologia era coisa de louco, computadores nem existiam, e não pensem que faz tanto tempo assim, mas a humanidade evolui em números exponenciais. Aos poucos a 'massa' foi tomando consciência que o mundo era mais do que podíamos enxergar, até a medicina, uma das mais céticas das ciências, hoje crêem que existe uma 'consciência' que sobrevive a morte física (é conhecida na medicina como ‘experiência de quase-morte’, EQM, EFC ou OOBE, também denominada autoscopia), a espiritualidade é assunto de qualquer novela em horário nobre. A consciência que o ser humano abusou do meio ambiente é nítida em todas as camadas sociais, catástrofes como terremotos enormes, tsunamis, novas doenças, enchentes, vulcões entrando em erupção fazem parte das noticias que tomamos conhecimento no dia-a-dia, e até o termo 'super vulcões', hoje esta começando ser divulgado, como o que existe sob o Parque Nacional de Yellowstone, que pelo enorme tamanho se localiza em três estados, Wyoming, Montana e Idaho, e sua erupção está em eminência, podendo ser uma enorme catástrofe, como nunca presenciamos. Explosões solares ameaçam nossa magnetosfera, nossa camada de ozônio não tem a mesma eficiência, em todo o planeta se tem conhecimento de casos de câncer de pele causados pela exposição prolongada a raios UV´s. A inversão dos pólos magnéticos, que acontece de tempos em tempos, já passou da sua hora. Ufologia é tema de estudo de diversos cientistas de renome, abduções tema freqüente em filmes, possíveis naves e seres capturados geram discussões polêmicas em diversos meios de comunicação. A rede mundial existe, é fato: a internet. A informática e a robótica evoluíram tanto, em tão pouco tempo, que já existem diversos documentários onde levantam a questão de num futuro, não muito distante, existe a possibilidade real de máquinas terem inteligência acumulativa, reconhecerem e aprenderem com o meio, até mesmo capaz de se reproduzirem, a 'nano tecnologia' esta em pleno desenvolvimento, com infinitas aplicações desde aplicações médicas, até à armas militares. E não poderia deixar de mencionar, em minha opinião, o mais importante salto do ser humano em direção a evolução da ciência, a continuidade do trabalho de Albert Einstein, o estudo da física quântica.
         Tudo isso traz uma consciência a humanidade de que realmente o lugar onde vivemos, o Planeta Terra, é muito frágil e que se não cuidarmos dele ele se perde, entra em colapso, e certamente junto com ele a raça humana. Isso nos trás um sentimento que temos que fazer algo por ele, pelo planeta, algo por nós, e o tempo para isso é já. Pois bem, se somarmos este sentimento a dois fatores: o surgimento das crianças índigo e cristais e a vaidade dos pais em relação aos seus filhos, podemos ter um grande problema.
         Uma criança índigo não se cria, muito menos uma criança cristal, nós estamos prontos, estamos nos preparando para este momento a dezenas e dezenas de encarnações, viemos de outros mundos, outros sistemas solares, outras galáxias, tínhamos outros corpos, adaptamos nosso perispírito, nos habituamos a este corpo. Levou muito tempo. E todo esse preparo culmina no agora, nossas capacidades florescem, vem à tona, se manifestam por si só, mais cedo ou mais tarde e não existe como negar, não há possibilidade. Podemos nos questionar, perguntar, expor o que nos acontece para ouvirmos de alguém que realmente esta acontecendo, mas em certo momento esta dúvida se esvai, despertamos. Hoje em dia, com as crianças cristais isto se tornou muito mais evidente, conheço crianças cristais que, em seus dez ou onze anos, nos dão aulas de assuntos como política, sociologia, até cosmologia e astrofísica, falam de energia como se estivessem falando de coisas comuns, e que na verdade são, elas tem um conhecimento sobre a espiritualidade e noção do Universo absurda. Seu sentimento de amor pela vida é maravilhoso.  Já não é difícil presenciarmos as famosas ‘crianças super dotadas’ que nos seus primeiros anos de vida participam de programas televisivos que alcançam as camadas mais simples da sociedade, fazendo contas complexas, ou nos narrando histórias mirabolantes de aprendizado de leitura aos três anos de idade e mais uma infinidade de exemplos. Não me surpreenderia, nos próximos anos, o assunto sobre crianças índigos e cristais se tornar tema de novelas e filmes de Hollywood, acho até que isto é algo inevitável.
         Agora acrescente a isto a vaidade dos pais, o orgulho que um pai e uma mãe têm sobre seus filhos. Torna-se fácil ver onde quero chegar: vai ter tantas crianças índigos e cristais que perderia a necessidade de uma depuração. Para que? A humanidade já teria dado o salto, a sociedade consciente estaria pronta, a ‘Nova Terra’ já seria uma realidade. Simples não é?
         Presencio mães que após verem seu filho de dois ou três anos desenhando um circulo numa folha de papel saem dizendo que o filho desenhou o Sol de Alcione, e que uma ou duas linhas ao redor do circulo simbolizam partículas de fótons. Ou que o filho balbuciou alguns sons e está falando uma língua desconhecida de seres extra terrestres. Isto é de um perigo enorme, para a mãe e principalmente para a criança, que será cobrada sem poder atender as expectativas e causará frustração, tanto a mãe, como a própria criança, e com certeza isso irá gerar alguns distúrbios morais e de consciência, bem como uma dificuldade de adaptação junto a sociedade, podendo ser bem difícil consertar isso tudo, mesmo após atingir a fase adulta.
         Isto deve ser tratado com a maior cautela possível, para podermos evoluir e chegar onde queremos. Precisamos, todos, índigos, cristais e toda a raça humana, nos livrar de sentimentos pequenos, que nos fazem errar e machucar uns aos outros, e estes geram enormes conseqüências. Neste novo mundo não pode haver ódio, raiva, bem como egocentrismo ou vaidade. Assim poderemos ter a consciência que somos uma unidade, sem isso a plenitude será inalcançável.

Glauco AC

Nenhum comentário:

Postar um comentário