O papel dos pais

O desenvolvimento rápido e pleno de um índigo está diretamente ligado a sua educação e a maior responsabilidade desta educação cabe aos pais. Nas próximas décadas este quadro será modificado, facilitado e corrigido, devido ao grande número de índigos já encarnados, a maioria já despertos, e muitos despertarão nos próximos anos, e destes alguns já serão pais, dando início à segunda geração, a maioria já tendo experimentado o despertar, exercitado suas habilidades e tomado consciência da importância do acompanhamento, esclarecimento e incentivo aos filhos índigos e cristais. Uma das principais mudanças será em relação a isto, a educação dos pequeninos, pois estará toda sobre a responsabilidade dos pais, uma realidade bem diferente da de hoje, que na maioria das famílias os pais estão se dedicando a outras atividades na maior parte do tempo, e as crianças ficam na escola, em casa ou outros lugares, sem a supervisão, apoio e, principalmente, longe da áurea amorosa, confortante e segura dos pais. Agindo desta maneira o potencial destas crianças será aflorado mais cedo e com maior facilidade e naturalidade, tendo tempo deste ‘ser’ desenvolver suas habilidades e sua consciência até a fase da adolescência de forma tranqüila, precisa e plena, fazendo melhor uso de sua existência neste plano.
Porém hoje a maioria ainda faz parte da primeira geração, embora uma parte de nós já cresça em um ambiente propício ao desenvolvimento de crianças estelares, com pais amorosos e esclarecidos muitos ainda enfrentam diversas dificuldades relacionadas ao seu convívio com familiares dentro de casa. Existem inúmeros motivos para que isto aconteça, um deles é o fato de, mesmo antes de o índigo despertar, às vezes ainda na infância, se mostra, involuntariamente, superior, seja em inteligência, seja em índole, seja em discernimento, seja em certos assuntos, isto às vezes é interpretado pelos pais como uma afronta, e sentem o seu ‘reinado’, seu ‘controle’ ameaçado, e não sabendo analisar corretamente a situação, e agir de forma certa, ou até mesmo aprender com ela, acabam por perder o controle, tendo atitudes incorretas, agressivas e por muitas vezes forçando o índigo cruzar a linha tênue que existe nesta fase entre o caminho certo e errado. Este tipo de atitude dos pais causam confusão em relação aos padrões sociais, distorção de caráter e personalidade, rebeldia, por muitas vezes sentem não se encaixar no lugar onde estão, culminando em uso de drogas, problemas de adaptação social e até mesmo em tentativas de suicídio. Estas crianças se preenchem de um sentimento de solidão, de não aceitação e isto é altamente prejudicial ao ‘ser’ índigo, principalmente pela sua faixa de vibração e sua sensibilidade.
Outro motivo bem comum para estes desentendimentos, que também é o motivo de muitas discussões fora de casa, em nosso ambiente de trabalho, na escola, ou outros tantos locais, é o fato do ser humano, embora a maioria desconheça em seu consciente, necessite de energia, além de alimento e água. O Universo tem em abundância esta energia, e é fonte infinita. Sendo o ser humano, com a atual consciência, incapaz de absorvê-la do meio, busca onde ela está mais perto, mais acessível, que é em outra pessoa, geralmente em pessoas do seu convívio. Vou exemplificar, já aconteceu de você se ver em uma discussão, às vezes sem nem saber o porquê, e quando se da conta está aos gritos e com tamanho sentimento de raiva e ódio dentro de você? Em certo momento, sente-se sem forças e se dá por vencido na discussão, deixando o último argumento da outra pessoa lhe vencer e desiste. Após isso se sente derrotado, fraco e por vezes até meio confuso. Pois bem você acabou de perder uma carga de energia preciosa. Se todos pudessem ver esta energia, poderiam vê-la se deslocando de uma pessoa à outra durante a discussão, e por fim ela fluindo em direção ao suposto vencedor. A maioria das pessoas passa a vida toda à ‘caça’ da energia de outra. Algumas vezes pessoas nos doam, involuntariamente, esta energia e nos sentimos felizes e fortalecidos, em geral isto não dura por muito tempo, pois estas não são suficientemente fortes para continuar doando energia, a única forma de obtermos energia plena e durável é do meio, e muitos já o fazem. É muito mais simples que imaginamos e todos, sem exceção, mais cedo ou mais tarde, teremos acesso ilimitado a esta energia que é tão vital para nós.

Glauco AC

Um comentário: