Evolução e Plenitude

Hoje foi me dado, por mim, mais um presente, me dei a oportunidade de prestar atenção e notar mais uma inspiração, um degrau a mais no meu despertar. Há algum tempo sinto meus sentimentos a flor da pele, me vejo sorrindo e chorando, sentindo dor e felicidade, depressão e harmonia, em uma intensidade surpreendente, que nunca havia presenciado, de forma que até me preocupava, e estes sentimentos se alternam sem nenhum motivo aparente, até então.A princípio pensei ser influência da presença que sinto desde meus 13 ou 14 anos, que é sempre constante na minha vida, e hoje tenho alguma idéia de quem se trata, graças a esta idéia consegui compreender que estes sentimentos não são por causa dela como, até então imaginava. Acho que de agora em diante estarei apto a distinguir quando se trata dela ou não, e com certeza, isso irá me ajudar muito a entender o que esta acontecendo aqui dentro, e por conseqüência, o que acontece do lado de fora.
Como tudo no Universo tem seus dois lados, como no Yin Yang, ou os pólos magnéticos, ou uma centena de exemplos que poderia descrever aqui, o despertar não foge a regra. Esta inspiração, após meditar sobre ela, me fez entender o porque se faz necessária uma depuração no planeta, o porque a ‘massa’ não pode atingir o despertar de uma hora para a outra, porque a coisa toda tem que ser lenta e gradativa. E com isso me faz entender que, como no início, do meu despertar, eu me frustrava por querer que todos vissem e entendessem o meu ponto de vista, por ser uma descoberta tão maravilhosa e óbvia, e, claro a maioria me achava sem noção. Isto era altamente prejudicial a mim, pois eu mesmo acabava por me questionar, e o mais importante para a evolução pessoal é acreditar em você mesmo, no conhecimento que está adormecido dentro de nós, na nossa maior ferramenta, que é nossa intuição. Quando experimentamos o despertar, inclui-se nisso nossa percepção sobre o externo, tudo que nele acontece e o afeta. Esta percepção é completamente alterada, em relação a que tínhamos, nossa visão sobre o todo se modifica, se amplia, percebemos nossa ligação que com tudo e com todos, percebemos que fazemos parte de algo muito maior. Começamos a entender que na verdade a individualidade é limitada. Tudo que fazemos a nós mesmos, faz com que outros sofram também as conseqüências, sejam boas ou ruins. Bem como o que fazemos ao meio, não só o que enxergamos com nossa visão limitada, mas se altera também o que ainda não podemos ver. Isto vai de encontro a física quântica, quando ela nos explica que não somos meros observadores, como até então achávamos. Nós alteramos a matéria alheia não somente com nossas ações sobre ela, mas também através de nossos pensamentos e sentimentos.
        É exatamente isto que me trás estes 'confusos' sentimentos. Na verdade eu estou sentindo as 'dores e alegrias' alheias, são atos ou sentimentos de outros me influenciando, e por ainda não saber lidar com isto, estes sentimentos transbordam de forma desordenada. Muitas vezes, como hoje, me pego chorando vendo um filme, um comercial, lendo uma notícia, ou até mesmo através de uma lembrança, com tremenda intensidade. Logo em seguida me vejo entusiasmado, sorrindo, com uma felicidade enorme dentro de mim. É isto...estou me conectando melhor com o universo ao meu redor. Isto mostra o quanto o 'livre-arbítrio' foi mal usado por alguns, mas de certa forma faz parte do mecanismo da providência, é um mal necessário, precisamos por sí só tomar nossas decisões e aprender com elas, seja mais rápido, seja mais lentamente. Por isto se faz necessária a depuração, a continuidade já esperada no mecanismo da vida. Não seria possível atingirmos níveis mais altos de consciência num mundo onde sentimentos de ódio, raiva, vingança, ainda existam. Não seria lógico. Viveríamos num mar de dor constante, se auto-flagelando uns aos outros, e isto iria contra qualquer lei natural. Por isto a providência, em sua perfeição, nos dá esta oportunidade, de separar as boas frutas das ruins, mas mesmo as frutas ruins recebem a oportunidade de secarem e externarem de dentro de si suas sementes, para que estas germinem se tornem novamente árvores e tragam novos frutos bons e saudáveis. Esta é a lei natural de todo o universo, não importa o quanto tempo demore, quanto caminhos tomamos erroneamente, o destino, mais cedo ou mais tarde, é apenas um: evolução e plenitude.


Glauco AC

Nenhum comentário:

Postar um comentário